Hedge Agrícola: Protegendo o Preço da Arroba do Boi Gordo

Protegendo o Preço da Arroba do Boi Gordo

Este conteúdo apresenta uma solução (hedge agrícola) para os pecuaristas que enfrentam os desafios do mercado agropecuário e buscam proteger o preço da arroba do boi gordo. O hedge agrícola é uma técnica que permite a mitigação de riscos e a garantia de previsibilidade nas vendas.

O setor agropecuário está sujeito a diversos fatores externos que podem afetar diretamente o preço das commodities, como a gripe suína, gripe aviária, greve dos caminhoneiros, embargo das exportações, tributações e o ciclo pecuário. Esses fatores podem gerar uma instabilidade econômica que pode prejudicar os produtores rurais.

No entanto, com a utilização de ferramentas de proteção de preço, como o seguro de baixa (put), é possível garantir um valor mínimo pela arroba do boi gordo, mesmo em situações adversas. Um exemplo prático é o caso de um pecuarista que utilizou essa estratégia e obteve bons resultados.

Antes de adquirir a proteção de preço, o produtor rural realizou um planejamento de engorda dos animais, considerando o custo da arroba produzida e o tempo necessário para engordá-los. Com essas informações em mãos, foi possível definir a estratégia de venda e adquirir o seguro de baixa para garantir um preço mínimo pela arroba.

Ao adquirir uma put de boi gordo na B3, o produtor rural paga um prêmio pela opção de compra. Se o preço do boi gordo cair até a data de vencimento do contrato, o pecuarista pode exercer a opção e ganhar a diferença financeira entre o preço de mercado e o preço de exercício da opção.

É importante salientar que as opções de compra e venda (call/put) não possuem ajuste diário ou chamada de margem. Isso significa que o produtor pode perder apenas o valor do prêmio pago pela opção, caso o preço do boi gordo não suba ou até mesmo caia.

No próximo tópico, apresentaremos o caso de um pecuarista que obteve um resultado surpreendente de R$ 560,00 por boi, mesmo em um período de instabilidade do mercado agropecuário. Descubra como ele utilizou a técnica do hedge agrícola para garantir a proteção do preço da arroba e alcançar um excelente resultado financeiro.


Planejamento pecuário para definir o hedge agrícola

Veja a importância de ter o planejamento de produção com a margem de lucro esperada. Dessa forma fica mais claro qual é o preço alvo para alcançar o resultado financeiro tornando a comercialização previsível.

Na construção do planejamento de produção muitas vezes o produtor rural conta com a ajuda dos consultores (zootecnista, veterinário etc.) tornando mais eficiente o processo.

Abaixo a referência de preço da região da fazenda  (Redenção – PA) e como estava o contato do boi gordo na B3 (BM&F).

Gráfico 01 – Preço do boi gordo na região da fazenda (Redenção – PA)

O gráfico acima ilustra o preço da arroba (R$288,00) do boi gordo em Redenção – PA no dia 05/06/2021. Gráfico abaixo apresenta o valor do contrato do boi gordo na B3 – BGIV21 cotado nos R$ 323,60.

 

Gráfico 02 – Preço do boi gordo cotado na B3 (BGIV21)

 

Com as informações do planejamento em mãos e com as referencias dos preços, agora é utilizar as ferramentas de proteção de preço para garantir a margem de lucro e não ficar expostos a volatilidade do preço da arroba.

Nesse estudo de caso o pecuarista utilizou o seguro de baixa (put) para garantir o preço mínimo. Ao garantir o preço mínimo da arroba torna a comercialização mais previsível e segura .

A compra de put (seguro de baixa) tem por objetivo garantir um preço mínimo e caso a cotação da commoditie caia o produtor rural estará protegido. Caso o preço da commodities suba, o produtor irá vender melhor o boi que está engordando. O seguro de baixa pode ser utilizado conforme a escala de abate dos animais.

O instrumento financeiro utilizado para proteção foi as opções  (call/put) negociadas na B3 (antiga BM&F) sobre o contrato futuro BGIV21 (vencimento 29/10/2021). O contrato futuro do boi gordo (BGI) é padronizado e cada lote equivale a 330 arrobas que é a carga de um caminhão truck boiadeiro.

A vantagem do mercado de opção é que o produtor rural não sofre os ajustes diários que podem ser positivos ou negativos. Outro ponto positivo é que não há chamada de margem. As opções (call/put) é semelhante ao seguro do carro onde é pago um “prêmio” pela cobertura contratada.

 

Importante: o pecuarista fez as proteções de preços em duas etapas seguindo as informações do planejamento de engorda e aproveitando as oportunidades do mercado.


Primeira proteção de preço com hedge agrícola

No dia 17/06/2021 fez a primeira proteção de preço.

 

 

Gráfico 03 – Contrato do boi gordo BGIV21 no dia 17/06/2021 (compra do primeiro seguro)

A linha amarela é a área de proteção do preço da arroba. Abaixo da linha (310) o produtor esta totalmente protegido. A nota de corretagem da compra do seguro sai no dia seguinte.

 


Segunda proteção de preço com hedge agrícola

No dia 07/07/2021 o produtor rural fez a segunda proteção para garantir toda escala do mês de outubro.

Gráfico 04 – Contrato do boi gordo BGIV21 no dia 17/06/2021 (compra do segundo seguro)

A linha amarela é a área de proteção do preço da arroba. Abaixo da linha (315) o produtor está totalmente protegido. Nota de corretagem da compra do seguro sai no dia seguinte.

 


Resumo dos seguros adquiridos

No quadro acima o custo total que o produtor rural pagou para proteger as 26.400 arrobas, aproximadamente 1.320 bois gordo. O custo total (R$ 165.993,57) é o valor final das duas notas de corretagens.

No valor total inclui o valor do prêmio pago pela proteção, corretagem, taxa e emolumentos da B3 (antiga BM&F). Esse total será utilizado na apuração do resultado.

Com aquisição do seguro o pecuarista garantiu um preço mínimo para o mês de outubro ficando tranquilo e sobrando tempo cuidar de outras atividades dentro da porteira. Por mais que o mercado tenha oscilações a proteção está garantindo o resultado financeiro da fazenda.

 

Mercado caiu e agora ? 

No dia 04/09/2021 surgiu uma suspeita da vaca louca e imediatamente as exportações foram suspensas obedecendo o acordo com os países importadores de carne bovina. Essa notícia fez o preço da arroba do boi gordo despencar.

Como o pecuarista estava protegido e a data prevista para o abate era em outubro, nesse caso ele ficou tranquilo acompanhando as notícias até a data que os animais ficaram prontos. Segue o impacto da notícia no preço da arroba do boi gordo na região da fazenda.

 

Gráfico 05 – preço da região da fazenda com a suspeita da vaca louca.

No dia 07/10/2021 o lote de boi gordo foi abatido e o preço de venda no frigorifico R$ 245,00.

Como pecuarista fez o seguro de baixa ele acionou a proteção para receber o valor financeiro conforme a proteção adquirida.

Nessa situação o pecuarista recebeu o valor financeiro abaixo das linhas (gráfico 05)  amarelas (315 e 310) . A data do acionamento do seguro foi no dia do abate também (07/10/2021).

Gráfico 05 – Contrato do boi gordo BGIV21 no dia 07/10/2021 (acionamento do seguro)

No acionamento do seguro, o contrato BGIV21 estava cotado em R$ 275,35. 

O produtor rural recebeu a diferença financeira abaixo do preço protegido 310 e 315. Segue o crédito dos seguros de baixa das duas operações.

Segue a nota de corretagem do crédito recebido na conta do produtor rural.

O produtor rural recebeu na sua conta na corretora o valor de R$ 887.995,81. Esse valor já foi retirado todo custo com corretagem, taxa e emolumentos B3. Apenas precisa descontar o imposto de renda porque ouve o lucro na operação financeira. No resultado geral esta o desdobramento do resultado líquido do seguro.

 

Resultado Geral

SEM SEGURO

Pecuarista vendeu os 1.320 bois gordo para o frigorifico no valor de R$ 245,00 a arroba e teve um lucro por arroba de R$ 5,00. Sem a proteção, o resultado financeiro da fazenda  foi de R$ 132.000,00 (R$100,00 por boi).

 

COM SEGURO

Pecuarista vendeu os 1.320 bois gordo para o frigorifico no valor de R$ 245,00 a arroba e acionou o seguro de baixa para receber o valor líquido de R$ 23,24 por arroba. O preço final de venda ficou R$ 268,24 (245 + 23,24 do seguro), alcançando a margem de 10,5%.

Com o preço de venda (R$ 268,24) o pecuarista guardou no bolso R$ 745.701,90, diferença de R$ 613.701,90 a mais de um pecuarista que não utilizou proteção. Abaixo o comparativo dos resultados SEM SEGURO x COM SEGURO.

No quadro acima é claro a eficiência das proteções de preço para garantir o resultado da pecuária. Nesse caso o pecuarista guardou R$ 613.701,90 a mais de um pecuarista que não fez proteção. Por mais que a margem de 20% não foi alcançada, o resultado permaneceu positivo mesmo no cenário de notícias negativas.

O hedge agrícola demostrou eficiência na proteção do preço do boi gordo diante da volatilidade do mercado. As oscilações do preço podem gerar prejuízo a atividade rural e cabe ao produtor rural elaborar políticas de comercialização para fazer a gestão dos riscos de preços.

 

Autor: Rafael Grings

Quer saber mais sobre as ferramentas de hedge agrícola ? Acompanhe nossos canais:

Podcast: https://open.spotify.com/show/6TsTZCIbt8NoMls5XAQTE9?si=c2203507b3e44754

YouTube: https://www.youtube.com/@HedgeAgro

Instagram: Hedge Agro

 

 

Compartilhe: