Como Proteger Preço Agrícolas no Mercado de Opções

A profissão de produtor rural é uma das mais arriscadas que existem, isto ocorre, porque ele está sujeito a diversas variáveis aleatórias como por exemplo, clima, variação nos preços do seu produto, variação do dólar, etc.

Neste texto, quero demonstrar uma ferramenta simples e prática que produtores podem utilizar para mitigar o risco de variação de preço.

Quando abordamos variações de preços, podemos destacar dois principais motivos para produtor usar este mercado:

1° Medo de vender o produto abaixo do custo;

2° Medo de não acompanhar alta num cenário positivo.

Muitos produtores já ouviram falar em Mercado Futuro ou comumente chamado de BMF. Esta comparabilidade ocorre porque a BM&F é um mercado organizado para negociação de Contratos Futuros e Mercadorias.

O contrato futuro negociado em bolsa, tem característica de ser padronizado, exigir margem de garantia e ajuste de posição.

A exigência de margem e ajustes diários são barreiras na utilização desta ferramenta para proteger preço.

Por isso, sugerimos o Mercado de Opções para produtor que deseja iniciar travamento de preço via bolsa, visto que não há exigência de margem de garantia e ajuste diário para o detentor do direito.

O que é mercado de opções?

O mercado de opções é um derivativo do mercado futuro, ou seja, seu preço varia conforme a valorização/desvalorização da commoditie negociado em mercado futuro.

Para facilitar o entendimento, o queijo é um derivativo do leite, se preço do leite sobe é provável que preço do queijo suba também e vice-versa.

Por isso o termo derivativo, o preço da opção deriva do ativo subjacente.

No mercado de opções, negocia-se direito de compra ou de venda de um bem a um preço e prazo determinado.  Quem adquirir o direito deve pagar um prêmio ao vendedor tal como ocorre num acordo de seguro.

Existem dois tipos de opções, o direito de compra, também conhecida como Call e direito de venda, chamado de Put.

Call

Quem compra uma call, está adquirindo o direito de compra um bem a um preço e prazo determinado. Este contrato é indicado para quem tem alguma dívida ou já travou preço na trading. Exemplo:

Produtor vendeu na trading:

Vamos supor que um produtor de milho travou preço a R$ 30,00, sendo assim, se o milho subir ele não irá acompanhar a alta. No entanto, ele acredita que os preços irão subir nos próximos três meses, mais para segurança resolveu travar.

O que fazer?

Neste caso, o produtor pode adquirir uma call com direito de compra a R$ 30,00 (strike) no vencimento em que acredita na alta do milho. Para ter este direito, ele paga um prêmio, vamos considerar custo de R$ 1,50 por saca.

Imagine que no vencimento o milho esteja a R$ 35,00. O produtor irá exercer seu direito de compra a R$ 30,00 e venderá no mercado futuro a R$ 35,00 embolsando a diferença. Resultado positivo de R$ 3,50 por saca (5,00 – 1,50).

Agora vamos simular uma queda no preço, no vencimento milho está R$ 25,00. Sendo assim, o preço travado pelo produto será de R$ 28,50 (30,00 – 1,50). Neste contexto o prêmio pago vira pó, semelhante ao que ocorre com prêmio de um seguro de carro após termino da vigência.

Put

Quem compra uma Put, está adquirindo o direito de venda um bem a um preço e prazo determinado. Este contrato é indicado para quem ainda não travou preço na trading. Exemplo:

Produtor ainda não vendeu na trading:

Vamos usar as informações do exemplo acima, o que difere aqui é que o produtor não travou preço na trading, desta forma ele encontra-se exposto ao risco na variação de preço. Vamos supor que milho está a R$ 30,00 e produtor quer se proteger contra queda e acompanhar alta no físico para o prazo de três meses.

O que fazer?

O produtor pode adquirir uma put com direito de venda a R$ 30,00 (strike) para prazo estimado. Para ter este direito, ele paga um prêmio, vamos considerar custo de R$ 1,50 por saca.

Imagine que no vencimento o milho esteja a R$ 35,00. O produtor irá vender na trading por R$ 35,00. Neste contexto o prêmio pago vira pó, semelhante ao que ocorre com prêmio de um seguro de carro após termino da vigência.  Resultado positivo de R$ 3,50 por saca (5,00 – 1,50).

Agora simulando uma queda no preço, no vencimento milho está R$ 25,00. Neste caso, produtor vende na trading por R$ 25,00 e exerce o direito de venda a R$ 30,00 na bolsa recebendo R$ 5,00. Preço travado a R$ 28,50 (30,00-1,50).

Quadro explicativo

Call: permite acompanhar alta de preço;

Put: protege contra queda de preço;

 

Importante: a compra da Put ou da Call é ideal fazer no momento do custeio.

Ambos os mecanismos permitem que o produtor proteja contra queda de preço e acompanhar alta da commoditie.

Referência de Preço Milho Setembro 2016

As informações abaixo são abertas e são divulgados pela BM&FBovespa, caso queira ter acesso clique aqui. Procure por Resumo estatístico.

A tabela mostra o preço das calls de milho base Campinas com vencimento em setembro de 2016 em diversos níveis de strikes (direito de compra)

Cotação de fechamento do milho R$ 44,10.

Perceba que conforme o preço de exercício (strike) sobe, o prêmio cai.  Isto é explicado, pois é mais provável de exercer o direito de compra a R$ 44,00 do que a R$ 50,00 frente ao valor de fechamento de R$ 44,10.

Na próxima tabela segue preços das Puts do milho setembro.

Veja que aqui ocorre o contrário, conforme o direito de exercício cai, o prêmio pago também cai. Como preço de referência é R$ 44,10 é mais provável que no vencimento possa ocorrer exercício do direito no nível de strike de R$ 44,00 do que R$ 38,00.

Resumo

O mercado de opções, é uma das alternativas mais simples para proteção de preço via bolsa. Como não há chamada de margem e nem ajuste diário, dá mais comodidade ao produtor.

Outro fator importante é que ao mesmo tempo que fornece a proteção contra queda, permite acompanhar a alta dos preços.

Espero que tenha gostado, caso tenha alguma dúvida ou queira mais informações, favor deixe seu comentário abaixo ou entre em contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *