Conheça contrato espelho de Soja Chicago negociado na BM&F

O contrato de soja futuro CME Group, faz parte de uma variedade de produtos resultante da parceria com a BM&FBovespa[1]. Neste texto vamos detalhar o funcionamento do contrato de soja negociado na BM&F, mas primeiramente temos que entender sobre o contrato negociado em Chicago (CBOT).

A CME possui dois contratos de soja negociado na CBOT, o principal ZS que possui o tamanho de 5.000 pontos bushels[2] (~136 tons) e o mini contrato XK que possui tamanho de 1.000 pontos bushels (~27 tons).

Conforme constatado pela BM&F, por questão mercadológica, o contrato padrão de soja negociado na CBOT é excessivamente grande para mercado brasileiro. Por isso, desenvolveu um contrato referenciado no míni contrato XK.

Veja as Principais Características do Contrato Negociado na BM&F:

Objeto de negociação O Contrato Futuro Míni de Soja (Mini-Sized Soybean Futures) do CME Group.
Código de negociação SJC
Tamanho do contrato 450 sacas de 60kg líquidos (equivalentes a 27 toneladas métricas).
Cotação Dólares dos Estados Unidos por saca, com até duas casas decimais.
Variação mínima de apregoação US$0,01.
Lote padrão 1 contrato.
Último dia de negociação 2º dia útil anterior ao mês de vencimento.
Data de vencimento 2º dia útil anterior ao mês de vencimento.
Meses de vencimento Janeiro, março, maio, julho, agosto, setembro e novembro.
Liquidação no vencimento Financeira.

Fonte: BM&FBovespa

 

Tamanho do Contrato

Como especificado acima, o contrato de soja negociado na BM&F tem tamanho padrão de 450 sacas de 60kg.

Sendo assim, caso um produtor deseje proteger 10.000 sacas, ele poderá fazer 22 contratos totalizando 9.900 sacas, visto que o contrato é padronizado em 450 sacas. Neste exemplo, o produtor ficaria com 100 sacas a menos que necessário, mas próximo ao ideal.

Para mensurar o volume transacionado, basta multiplicar o número de contratos, pela quantidade de sacas vezes a cotação. Vale destacar que a cotação é dólares por saca.

Exemplificando, se um negociador assumir a posição comprada de três contratos em um determinado vencimento cotado a U$ 21,00 o cálculo seria:

Volume Negociado = 3 x 450 x 21,00= U$ 28.350,00

 

Formação de Preço

A base de referência para formação de preço do contrato de soja negociado na BM&F é o míni contrato soja da CBOT. Você pode acompanhar todos os vencimentos clicando aqui.

Como os produtores rurais estão em regiões diversas, é necessário entender o diferencial de base, também conhecido como custo de carrego (armazenagem, juros, sazonalidade, etc.). Recomendo a tabulação do diferencial de base numa planilha de excel, para poder visualizar como ela se comportou ao longo do tempo.

Na execução do hedge, falamos que o único risco que não pode ser protegido é o de base, no entanto, é preferível gerenciar este risco do que ficar totalmente vulnerável as oscilações de preço da commodity.

Outro aspecto importante é a formação de preço do dólar, visto que a cotação do contrato é expressa na moeda americana, para precificação é utilizado PTAX disponível no Banco Central do Brasil.

 

Codificação

A codificação é estruturada na seguinte sequência: (i) código do ativo, são as três primeiras letras; (ii) mês do vencimento, representado por uma letra e; (iii) ano, dois últimos números. Veja como fica a codificação do contrato de soja com vencimento em maio de 2019:

Para saber sobre codificação e vencimento dos demais contratos veja este artigo: Código e Vencimento dos Contratos Agrícolas Negociados na BMF.

No vencimento, ocorre somente liquidação financeira[3] e ela é feita no segundo dia anterior ao mês de vencimento, se for feriado ou não tiver pregão ocorre no dia útil anterior.

 

Limite de Oscilação

É um mecanismo de gerenciamento de risco das oscilações, a BMF&FBovespa determina os limites de posição para os contratos abertos, tanto para cima quanto para baixo.

Limite Mínimo: -U$1,54, aplicado sobre o preço de ajuste do dia anterior do vencimento negociado. O anterior era um túnel de -U$2,20;

Limite Máximo: +U$1,54, aplicado sobre o preço de ajuste do dia anterior do vencimento negociado. O anterior era um túnel de -U$2,20.

Ou seja, atingindo este limite tanto para cima quanto para baixo as ofertas além dele são canceladas.

Cabe destacar, que estes valores podem ser alterados conforme metodologia de cálculo disponível no Manual de Risco da BMF&FBovespa.

 

Estratégia de Hedge

A BM&FBOVESPA disponibiliza para negociação da soja, os contratos Futuro e de Opção.

A decisão de usar mercado futuro ou de opções, depende das condições de mercado e da necessidade de cada participante. Nós na Hedge Agro, recomendamos na maioria das vezes o uso do mercado de opções, no entanto em alguns momentos faz sentido utilizar o mercado futuro.

Hedge de Alta: o participante abre posição de compra no contrato futuro ou compra call com intuito de se proteger da valorização do ativo objeto. Exemplo, trading, frigoríficos, importador, etc.

Hedge de Queda: o participante abre posição de venda no contrato futuro ou compra put com intuito de se proteger da desvalorização do ativo objeto. Exemplo, produtor rural, exportador, dentre outros.

Se você quiser ir a fundo e entender todos os detalhes do contrato de soja recomendo a leitura das especificações disponível aqui.

Caso tenha alguma dúvida ou deseje informações, deixe seu comentário abaixo ou entre em contato conosco.


[1] Atual B3

[2] 1 bushel = 27,216 quilogramas

[3] Não há entrega do produto físico

Crédito da imagem: Maurillo Marcondes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *