Curvas Futura do Boi Gordo: Boa Janela Para Hedge

O contrato do boi está sendo negociado na máxima histórica e as curvas futuras de negociação vem chamando atenção.

O problema da gripe suína na Ásia vem dando suporte para esta alta e podemos notar isto nos dados de exportações brasileiras de carne bovina.

Com a curva ascendente para meses futuro abre uma boa janela para hedge, especialmente para o mês de maio de 2020 considerado o pico da safra. Veja as curvas futura:

A diferença de preço entre o contrato atual (BGIV19) para maio de 2020 (BGIK20) está em R$10,00. Isto possibilita ao pecuarista olhar as curvas futura e assegurar este patamar de preço.

Ou seja, atualmente há possibilidade de assegurar a diferença de R$ 10,00 para um período considerado como safra.

Cabe lembrar, que o custo de reposição também acompanha a alta do boi, sendo assim, é importante que o pecuarista utilize uma estratégia onde possibilite travar o piso e deixar o teto aberto para acompanhar uma possível alta.

Desta forma, o custo de reposição fica praticamente neutralizado.

E isto é possível ser feito através do uso do mercado de opções negociados em bolsa.

Como Fazer:

No cenário atual, como mencionado acima, é importante que o pecuarista deixe o teto aberto para acompanhar possível alta ao mesmo tempo que proteger do custo de reposição.

Além do custo de reposição, vale destacar a forte valorização do milho nos últimos meses, pois ele tem grande impacto no custo dos confinadores.

Para este cenário, o recomendado é a compra de uma Put, através dela o pecuarista pode assegurar um preço mínimo e acompanhar alta do boi no físico.

A Put é uma opção de venda, onde quem compra ela tem o direito de vender o ativo a um preço e prazo determinado. E para ter este direito, paga-se um prêmio na entrada da operação.

Assemelha-se ao seguro de carro, onde segurado paga um prêmio para proteger o veículo dele em um determinado período.

O mercado de opções não há chamada de margem e nem ajuste diário. Além disto, o investidor pode sair a qualquer momento do contrato de opções através da negociação em bolsa.

Exemplo Prático

Na semana passada, quando o contrato futuro de boi vencimento maio de 2020 (BGIK20) estava cotado a R$ 175,00 e a put com direito de venda em R$ 170,00 estava sendo negociada a R$ 2,30 por arroba.

Imagine que um produtor desejasse assegurar o patamar 170,00 para maio do ano que vem. Para isto, ele deverá pagar prêmio de R$ 2,3 por arroba.  Veja como fica nos diversos cenários:

Na tabela acima, as duas primeiras colunas são os possíveis cenários no vencimento, a coluna ‘opções’ é o fluxo financeiro da Put, a coluna ‘físico’ é o resultado da venda do boi no frigorifico no vencimento e a última coluna é a soma.

A simulação acima considera o custo da opção no resultado.

O contrato de boi gordo negociado na B3 tem padronização de 330 arrobas, a simulação acima considera a negociação de apenas 1 contrato.

Caso queira conhecer as demais características do contrato de boi gordo clique aqui.

Cenário de Alta:

Caso mercado suba, o pecuarista perde o prêmio pago na opção e acompanha alta do físico, este é melhor cenário pois poderá melhorar a margem do negócio. E como mencionado, neste momento, é importante deixar o teto aberto para se proteger do custo de reposição e alta do milho.

Cenário de Queda:

Caso mercado caia abaixo de 170,00 o pecuarista ficará 100% protegido contra a queda, por isso a coluna resultado não se altera abaixo desta faixa de preço.

E se o preço ficar entre 175 a 170 o pecuarista perde o prêmio e tem uma pequena variação negativa na venda do físico no nível de preço que estiver no momento.

Conclusão

A curva futura está atrativa para assegurar as margens, no entanto, não podemos esquecer que alta do boi também tem efeito na reposição então é importante deixar o teto aberto para acompanhar possível alta.

Além disto, vale destacar alta que milho vem tendo, isto tem forte impacto na atividade.

Por isso, a estratégia mais adequada neste momento é a compra da put, no qual ela trava um piso e oferece ao pecuarista acompanhar alta.

Se tiver dúvida ou deseja mais informações deixe comentário ou entre em contato conosco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *